PROGRAMAÇÃO DE CURSOS

Curso 1 - AGENTES FÍSICOS: A PRÁTICA DAS AVALIAÇÕES DE CALOR, RUÍDO E VIBRAÇÕES – (40h – 16 a 20/08/2017)

Avaliação da Exposição Ocupacional ao Calor

  •  Conceitos e definições
  •  Índices de avaliação da exposição ocupacional ao calor
  •  Estimativa de taxas metabólicas
  •  Limites de Exposição:

 • NR 15, Anexo 3, Portaria 3.214/78
• NHO – 06 da Fundacentro – Avaliação da Exposição Ocupacional ao Calor

  •  Novas abordagens em avaliação de calor:

 • Nível de Ação
• Aclimatização
• Valor Teto
• Influências das vestimentas na avaliação da exposição ao calor

  •  Equipamentos de avaliação da exposição ao calor
  •  Critérios e procedimentos de avaliação e abordagem ambiental
  •  Grupos de Exposição Similar – GES
  •  Interpretação dos resultados
  •  Medidas preventivas e corretivas

 

DOCENTE

ireneIrene Saad
Higienista Ocupacional Certificada ABHO/001, com formação básica em Engenharia Química e pós-graduação em Engenharia de Segurança, com especialização em agentes químicos no Instituto Nacional de Higiene e SeguridadenelTrabajo, na Espanha. Pesquisadora da Fundacentro de 1975 a 1999, tendo sido Gerente da sua Divisão de Higiene do Trabalho por vários anos. Membro do grupo de estudos que elaborou o texto da NR-15 da Portaria 3214/78 do MTE. Membro do Grupo Técnico que elaborou a nova NR-9, que instituiu a obrigatoriedade da implantação do PPRA nas empresas. Co-autora das Normas de Higiene Ocupacional da Fundacentro NHO-01 (Ruído) e NHO-06 (Calor). Docente de cursos de formação e de especialização de profissionais na área de segurança, higiene e medicina do trabalho. Docente dos Cursos de Insalubridade e Periculosidade para Magistrados da Justiça do Trabalho em São Paulo (1985, 1999, 2000, 2015, 2016, 2017). Docente do Curso de Pós-Graduação em Higiene Ocupacional da Santa Casa/Senac/Fundacentro e da Petrobras, através da Universidade Federal da Bahia. Autora dos livros “Riscos Químicos” e “SÍLICA – Manual do Trabalhador”, editados pela FUNDACENTRO, e Programa de Prevenção de Riscos Ambientais –PPRA, editado pela ABHO. Integrante da equipe de tradução do livro TLVs e BEIs da ACGIH, publicado anualmente pela ABHO. Membro da American Conference of Governmental Industrial Hygienists – ACGIH desde 1988. Presidente da ABHO nos períodos de 1994 a 1997 e 2000 a 2003. Integrante do CPC – Comitê Permanente de Certificação da ABHO, responsável pela certificação dos profissionais especializados em higiene ocupacional.


Fundamentos da avaliação da exposição ocupacional ao RUÍDO

  • Cenários da exposição ocupacional, reconhecimento e análise;
  • Entendendo o paradigma da interpretação das normas: técnica (NHO01) x legal (NR15) x Previdenciária (IN77);
  • Limites de Exposição Ocupacional: NR15 e NHO01;
  • Critérios Técnicos de Avaliação: NR15 e NHO01;
  • Conceitos sobre equipamentos de medição: tipos, características e aplicações usuais;
  • Parâmetros de medição: Nível de Pressão Sonora, Nível Médio, Nível Equivalente, Dose, Dose Projetada, Nível de Exposição, Nível de Exposição Normalizado;
  • Cálculos dos parâmetros: NE, Dose, NEN e Dose Projetada;
  • Estudo e análise em frequência;
  • Prática com equipamentos de avaliação: dosímetros e monitores de NPS;
  • Prática com demostrações de realização da Dosimetria de Ruído;
  • Abordagem de conceitos técnicos e expertise durante as avaliações em campo;
  • Elucidando as Avaliações Representativas e Não Representativas;
  • Consolidação de resultados para interpretação (planilhas de cálculo e apresentação);
  • Análise de resultados consolidados: com apenas uma amostra e com grupos de amostras;
  • Exercícios em grupo, para compreensão da análise coerente dos resultados (análise com base científica);
  • Composição de relatório técnico conclusivo (com entrega do modelo em formato digital editável).
  • Prova final.

 

DOCENTE

lucasLucas Diniz da Silva
Graduando em Engenharia Mecânica Faculdade de Engenharia do Pitágoras de Belo Horizonte. Graduando em Engenharia de Produção e Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Nove de Julho de São Paulo. Técnico de Segurança do Trabalho a 15 anos, Técnico Higienista Ocupacional Certificado pela ABHO desde 2006. Desde 2011, participa ativamente como instrutor de cursos da ABHO. Iniciou as atividades na indústria como técnico de segurança. Após alguns anos iniciou a atuação em consultoria de segurança e se especializou na área de Higiene Ocupacional. Conduziu projetos de grande porte em empresas nacionais em ramos diversos como: alimentícia, automobilística, automotiva, florestal, química, petroquímica, siderurgia, mineração, aviação e outros. Tais projetos que totalizam mais de 50.000 avaliações ocupacionais. Realizou aproximadamente 3000 horas de capacitação nas áreas de saúde, segurança, meio ambiente e principalmente em higiene ocupacional. Responde pela direção da TriADD Consulting, liderando equipes de trabalho, ministrando treinamentos e gerindo projetos de serviços nas áreas de Segurança e Saúde Ocupacional.

 


Conceitos básicos de Vibração Ocupacional

Introdução
Conceitos básicos de Vibração Ocupacional

  • Fontes de vibração
  • O que é vibração?
  • Vibração no Corpo Inteiro
  • Vibração Localizada ou Vibração em Mãos e Braços
  • Valores de referência
  • Os quatro fatores de importância primordial para determinar a resposta humana à vibração
  • Curvas de ponderação e fatores de correção (K)
  • Raiz Média Quadrática (RMS) e Valor de Dose de Vibração?
  • Aceleração Resultante
  • Aceleração Equivalente

Os Principais efeitos das exposições à vibração ocupacional

  • Sensibilidade do Corpo Humano quando exposto a vibração.
  • Efeitos à saúde.

Métodos de Calibração

  • Rede Brasileira de Calibração – RBC
  • Calibração dos instrumentos de medição
  • Periodicidade de calibração da instrumentação

Normas Regulamentadoras – NR-9 e NR-15

  • Princípio do Anexo 1 da NR-9.
  • Avaliação Qualitativa.
  • Avaliação Quantitativa.

Compreendendo a NHO-09 e NHO-10

  • Quanto tempo medir?
  • Parâmetros de medição: “am”, “amr”, “arep”, “are”, “aren”, “VDVj”, “VDVji”, “VDVexpji”, “VDVexpj”, “VDVR”, Fator de Crista (FC).
  • Componentes de Exposição.

Procedimentos de medição

  • Localização e fixação dos acelerômetros.
  • Cuidados na instalação do equipamento.
  • Cuidados durante as avaliações.
  • Interferências no desempenho do equipamento.
  • O que observar durante as avaliações?
  • Que informações relevantes registrar em folha de campo?

Estratégia de amostragem

  • Reconhecer as Componentes de Exposição.
  • Definir o Ciclo de Exposição.

Pratica

  • Configurar o equipamento de medição.
  • Calibrar o equipamento de medição.
  • Procedimentos e Montagens dos Acelerômetros (orientação dos eixos ortogonais).
  • Otimizar o tempo de amostragem segundo as alternativas das NHO.

Interpretação dos resultados fornecidos pelo equipamento

  • Resultados da medição: Como obtê-los? Como encontrá-los nos relatórios do equipamento? O que representam? O que o equipamento forneceu?
  • Reconhecendo o: “arep”, “are”, “aren”, “VDVj”, “VDVji”, “VDVexpji”, “VDVexpj”, “VDVR” no relatório do equipamento.
  • Cálculos complementares?
  • Vetores: importância na interpretação dos resultados e propostas de melhorias.

Medidas de controle das exposições

O Controle individual (EPI)

  • Luvas, como obter o amortecimento presumido ISO10819?

 

DOCENTE

jose-carlosJosé Carlos Lameira Ottero
HOC-080, Engenheiro Cartógrafo, pela UERJ; Mestre em Administração com ênfase nos efeitos ergonômicos sobre o desempenho profissional, pela UMESP; Engenheiro de Segurança do Trabalho pela FEI. Experiência em Higiene Ocupacional desde maio/1987. Passou por empresas como Cia Antarctica Paulista e Metal Leve S.A., há 12 anos na SGS-ENVIRON Ltda., desenvolvendo avaliações, estudos, pesquisas e laudos na área de HO, além de treinamento da equipe interna e de profissionais de HO dos clientes. Foi professor convidado nos cursos de Pós-graduação em Enga. Segurança do Trabalho da FEI e UNITAU e ex-professor contratado da Universidade Santa Cecília e IATEC em disciplinas de HO.

Curso 2 - VENTILAÇÃO INDUSTRIAL COMO MEDIDA DE PROTEÇÃO COLETIVA DE ENGENHARIA – (16h – 19 e 20/08/2017)

Conteúdo Programático:

1.Princípios de Ventilação Industrial para o Controle de Contaminantes Químicos

  • Vazão
  • Velocidade do Ar dentro versus área de seção de tubulação
  • Pressão Estática
  • Pressão de Velocidade
  • Pressão Total

2.Revisão básica de Ventilação por Diluição

  • Concentração de Equilíbrio
  • Etapa de Geração
  • Etapa de Purga

3.Ventilação Industrial por Extração Local

  • Definições Básicas
    1. Velocidade de Captura
    2. Velocidade de Transporte
    3. Velocidade de Face
    4. Velocidade de Plênum
    5. Velocidade do duto
  • Coifas Simples e Compostas
  • Pêrdas de Pressão
    1. Fricção
    2. Conexões
    3. Aceleração
  • Método de Pressão de Velociade, Manual de Ventilação da ACGIH
    1. Sistema de 1 coifa
    2. Sistema de 2 coifas

4.Ventiladores e seu Dimensionamento

  • Tipos de Ventilador
  • Curva de Pressão e Potência

5.Monitoreamento de Sistemas de Ventilação Industrial por Extração Local

  • Instrumentos de Medição
  • Métodos de Medição Transversais
  • Recomendações para Medição
    1. Pressão Estática
    2. Pressão de Velocidade
  • Velocidade de Ar
  • Vazão

6.Avaliação prática de um sistema de ventilação

  • Participantes montam um sistema em sala de aula e avaliam-no com instrumentos de medição

Nível de Conhecimento necessário para o aproveitamento de cada participante:

  • Álgebra, aritmética e geometria plana
  • Química geral (peso molecular, número de mols, equação geral dos gases, densidade)
  • Fundamentos de Higiene Ocupacional
  • Princípios de Controle de Contaminantes Químicos

Equipamentos requeridos de cada participante: 

  • Calculadora científica
  • Laptop ou Tablet com Ms. Excel

 

DOCENTE

sergioSérgio Caporali
Engenheiro de produção graduado pela Universidade de Lima no Peru; Mestre em Engenharia de Manufatura pela Universidade de Porto Rico; Mestre em Higiene e Segurança Ocupacional e PhD em Ergonomia pela Universidade de West Virginia nos EUA. É higienista certificado pela Junta Americana de Higiene Industrial desde 2011, profissional certificado de segurança pela Junta de Profissionais de Segurança desde 2005 nos EUA.  Trabalha desde 2006 como catedrático e hoje é Coordenador do Programa de Mestrado em Higiene Industrial na Escola de Pós-graduação em Saúde Pública da Universidade de Porto Rico. Caporali também trabalha como consultor em Ergonomia e HO desde 2001.

Curso 3 - PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA E AS MUDANÇAS ATUAIS – (16h – 19 e 20/08/2017)

Conteúdo Programático:

1 – Riscos Respiratórios (deficiência de oxigênio e contaminantes)
2 – Classificação de Respiradores (purificadores de ar e de adução de Ar)
3 – Seleção de respiradores pelo método qualitativo e os impactos em relação ao método quantitativo
3.1 – exercícios
3.2 – discussões de casos
4 – Ensaios de vedação (qualitativos e quantitativos)
5 – conteúdo mínimo de um PPR

 

DOCENTES

antonioAntonio Vladimir Vieira
Químico, mestre em Engenharia Mineral pela Escola Politécnica da USP. Higienista Certificado pela ABHO, membro Fundador e vice-presidente de relações públicasda ABHO; Trabalhou na área de higiene do trabalho da FUNDACENTRO e atualmente está no cargo de chefe do Serviço de Equipamentos de Segurança, que inclui o laboratório de ensaios de EPIs. Especialista em Proteção Respiratória é coordenador e docente dos Cursos de Proteção Respiratória da Fundacentro; docente em cursos de Higiene Ocupacional, Medicina do Trabalho e Engenharia de Segurança do Trabalho e é coordenador do grupo de trabalhos da ABNT, para elaboração de normas de equipamentos de proteção respiratória. Representa o governo brasileiro indicado pela ABNT nas discussões para elaboração da norma ISO na área de proteção respiratória.

 

 



wilsonWilson Holiguti
Bacharel em Química Tecnológica pelo Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas. Tem mais de 20 anos de experiência na área de higiene ocupacional, atualmente trabalha na 3M do Brasil onde tem atuado como Especialista Avançado em Higiene Industrial e Segurança Radiológica para o Brasil e América Latina. Higienista Industrial Certificado pela American Board of Industrial Hygiene (ABIH), desde maio de 2016. Higienista Ocupacional Certificado pela ABHO, desde agosto de 2009. Supervisor de Radioproteção Certificado pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), na modalidade de Medidores Nucleares, desde julho de 2005. Especialista Registrado pela American Industrial Hygiene Association (AIHA) em “Exposure Decision Analysis”, desde outubro de 2012. Membro do Conselho Técnico da ABHO eleito para o triênio de 2015-2018. Membro do Comitê Permanente de Certificação da ABHO, desde março de 2016.

Curso 4 - PROTEÇÃO ACÚSTICA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS E COMO DEFINIR A PROTEÇÃO INDIVIDUAL - (16h - 19 e 20/08/2017)

Conteúdo Programático:

1-    Conceitos básicos em acústica aplicada

2-    Efeitos do ruído e de vibrações no homem

3-    Instrumentação para medição e análise de ruído evibrações

4-    Radiação sonora de estruturas vibrantes

5-    Isolamento de ruído

6-    Acústica de ambiente fechado

7-    Isolamento de vibrações

8-    Tecnologia de controle de ruído das máquinas

  1. Solução nas fontes, trajetória e receptor.
  2. Redução de Ruído nos ventiladores e exaustores
  3. Redução de Ruído dos motores
  4. Redução de Ruído das válvulas
  5. Redução de Ruído de jato de ar comprimido
  6. Redução de Ruído de compressores
  7. Redução de Ruído de torres de refrigeração

9-    Controle de ruído por enclausuramento com cálculo do projeto

10- Protetores auditivos: funcionamento, atenuação de ruído, seleção e cálculo de eficiência no ambiente de trabalho.

11- Exemplos práticos

 

DOCENTE

samirSamir N.Y. Gerges
Formado em Engenharia Mecânica com doutorado em 1974 na ISVR – Inglaterra, e cinco anos de experiência na indústria aeronáutica. 04 anos de pós-doutorado nas universidades de Southampton e Sussex-Inglaterra.  Professor titular destes 1980 em Vibrações e Acústica na UFSC. Presidente e membro fundador da SOBRAC 94/97 e 2002/2005 e Membro fundador , past presidente da Federação Ibero-americana de acústica FIA e atua Vice presidente. Membro da corpo editorial do International Journal of Acoustics and Vibration, J. Building Acoustics e Noise Control Engineering Journal. Autor do livro: Ruído: Fundamentos e Controle de 700 páginas em espanhol (1998) e português (1992 e 2000), livro “PROTETORES AUDITIVOS” edição 2003 e Livro Ruídos e Vibrações Veiculares de 2005, de 700 paginas em A4. Prêmio “Fellow” da IIAV em 1999 e Prêmio “Non-TenuredFacultyAwards” de 3M em 2000. Presidente da ‘ International Comission of Acoustics (ICA) 2007-2010. Tem mais de 310 trabalhos publicadas em congressos e revistas indexadas. Fornecer consultoria para órgãos públicos e privados em acústica de ambientes de eventos e controle de ruído para aviões de EMBRAER e indústria automobilística (FIAT, GM, FORD, RENAU, ..etc.). Especialistas em proteção auditiva, medições em call Center (mais de 10 anos com participação nas normas I.S.O.) Favor acessar CV lattes na site CNPq (WWW.cnpq.br).

Curso 5 - INTRODUÇÃO À HIGIENE OCUPACIONAL – (16h – 19 e 20/08/2017)

Conteúdo Programático:

Título: Introdução à Higiene Ocupacional.

Objetivos do curso.

a)    Fornecer uma orientação básica do que é Higiene Ocupacional como uma especialização que congrega profissionais de várias áreas com uma visão concentrada na prevenção das doenças ocupacionais.

b)    Dar um panorama geral do seu histórico internacional e no Brasil.

c)    Verificar através de uma rápida explanação quais as normas nacionais e internacionais pertinentes, que orienta o trabalho do Higienista ocupacional

 

Tópicos principais:

1) O que é HO?

  • Alguns exemplos de problemas criados pelo desconhecimento desta disciplina em diversas formas das atividades humanas, através da história nacional e em outros países.
  • Definição aceita atualmente (fonte enciclopédia da OIT)
  • Fases da HO (Antecipação, Reconhecimento, Avaliação e Controle)

2) Enfoque moderno. O trabalhador e o ambiente de trabalho.

  • Fatores de riscos,
  • Riscos físicos, químicos e biológicos.

3) Vínculos da HO com outras ciências e metodologias que permitam sua aplicação.

4) Reflexos na produção, produtividade e na evolução tecnológica de um país.

5) A evolução da tecnologia na procura por ambientes sadios

6) Histórico.

7) Observação e documentação das doenças ocupacionais como ponto de partida de uma disciplina conhecida hoje como HO,

8) Etapas históricas da evolução tecnológica da humanidade e seu reflexo nas atividades das diversas profissões.

9) 1ª e 2ª guerras mundiais, legado positivo ou negativo?

10) Entidades Internacionais vinculadas à Higiene Ocupacional sua historia e evolução.

11) Evolução e tratativa no Brasil.

12) A prevenção das doenças ocupacionais no Brasil

13) Normas Regulamentadoras de 1978,

14) As NR´s que tem relacionamento com a Higiene Ocupacional (NR-7, 9, 15, e outros capítulos relacionados)

15) A visão atual das NR:

  • Visão das entidades que regulam e fiscalizam o cumprimento das normas de prevenção em saúde ocupacional no Brasil,
  • Visão das empresas
  • Visão de entidades vinculadas como a ABHO,

16) O Higienista Ocupacional:

  • Formação (livreto da reunião internacional organizada e coordenada pela OMS no Brasil).
  • Cursos de especialização em HO: USA e Europa
  • Cursos no Brasil
  • Atuação do Higienista no Brasil

17) A ABHO como associação de profissionais que atuam na área de HO.

18) Atividades da ABHO:

  • Constituição
  • Como se associar
  • A certificação em HO

19) Outras atividades da ABHO (congressos, certificação, revista, entre outras).

20) O livreto dos TLV e BEI, tradução e publicação da ABHO

 

DOCENTE

jose-sotoJosé Manuel O. Gana Soto
Membro Fundador da Associação Brasileira de Higienistas Ocupacionais (ABHO), Higienista Ocupacional Certificado (HOC004) e presidente na gestões 2009 a 2015.

Químico, Eng. Químico e de Segurança do Trabalho, com mestrado em Higiene Ocupacional pela PUC do Chile.

Gerenciou a Divisão de Higiene Ocupacional da Fundação Jorge Duprat de Figueiredo de Seg. e Med. Trabalho – FUNDACENTRO.

Diversos estágios de aperfeiçoamento profissional no National Institute for Occupational Safety an Health NIOSH-USA, no Centro de Pesquisas de Decines da Rhone Poulenc em Lyon França, e centros tecnológicos de diversas empresas americanas.

Mais de 30 anos de trabalhos e pesquisas na área de Higiene Ocupacional, atuando como assessor do grupo Rhodia, consultor da Organização Mundial de Saúde e grandes empresas do cenário brasileiro. Docente de cursos de especialização de engenharia de segurança do trabalho.

Sócio-Diretor/Responsável Técnico do Laboratório UniAnalysis e consultor técnico de empresas nacionais e internacionais, tendo atuado no Brasil e exterior.

Curso 6 - INFORMAÇÕES DE HO NO PREENCHIMENTO DO PPP E DO E-SOCIAL – (8h - 19/08/2017)

Conteúdo Programático:

• Aposentadoria Especial e Períodos Trabalhados Sob Condições Especiais
Conceitos
Requisitos previdenciários

• Legislação Previdenciária sobre Aposentadoria Especial
Histórico
Legislação atual

• Demonstrações Ambientais
Requisitos previdenciários

• Agentes Nocivos e Decretos do INSS
Relações de agentes (inclusão e exclusão)
Critérios para reconhecimento de períodos trabalhados sob condições especiais

• Recolhimento de Alíquota Adicional para fins de Aposentadoria Especial
Previsão legal
Debates atuais sobre os critérios

• Formulário Perfil Profissiográfico Previdenciário – PPP
Conceito, conteúdo e exigência legal
Registros Ambientais e Responsável pelos Registros Ambientais no PPP

 

DOCENTE

Em breve.

CONFIRA O PROGRAMA DO CBHO E EBHO

Em breve…