Fone/Fax: + 55 11 3081.5909 / 3081.1709
+

ABHO

Um pouco da história da ABHO

Criada em agosto de 1994, congrega pessoas físicas e jurídicas com interesses relacionados à área de higiene ocupacional, tendo sido constituída para fins de estudos e ações relativas à higiene ocupacional e representação de interesses individuais ou coletivos dos higienistas.

OBJETIVOS

1. Promover e valorizar a higiene e os higienistas ocupacionais no Brasil.
2. Promover a troca de informações e de experiências.
3. Promover a formação, qualificação e aperfeiçoamento profissional

POR QUE SE JUNTAR À ABHO?

  • Porque a ABHO congrega profissionais que lutam pela melhora das condições dos ambientes de trabalho.
  • Porque juntos promoveremos a higiene ocupacional no Brasil e a melhoria da qualidade de vida.
  • Porque a ABHO representa um caminho para o seu aperfeiçoamento profissional.
  • Porque você poderá participar de comitês técnicos para discutir temas relevantes de higiene ocupacional
  • Porque você terá descontos especiais nos eventos promovidos pela ABHO.
  • Porque você receberá o livreto da ACGIH contendo os limites de tolerância, em português, sempre que ele for atualizado.
  • Você estará sempre atualizado sobre os acontecimentos na área, através de nossos Informativos periódicos.
abho1

APRESENTAÇÃO DA ABHO

Querendo conhecer um pouco mais sobre a nossa Associação e usar as informações para divulgá-la, clique aqui.

DEFINIÇÃO DE HIGIENE OCUPACIONAL

Higiene Ocupacional é a ciência e a arte dedicada ao estudo e ao gerenciamento das exposições ocupacionais aos agentes físicos, químicos e biológicos, por meio de ações de antecipação, reconhecimento, avaliação e controle das condições e locais de trabalho, visando à preservação da saúde e bem-estar dos trabalhadores, considerando ainda o meio ambiente e a comunidade.

CÓDIGO DE ÉTICA

Este código de ética tem por objetivo fornecer princípios de conduta ética para os higienistas ocupacionais, de forma a preservar sua missão básica de proteger a saúde e o bem-estar dos trabalhadores ou membros da comunidade contra os riscos presentes ou procedentes dos locais de trabalho.

PRINCÍPIOS DE CONDUTA ÉTICA

1.º PRINCÍPIO

Exercer sua profissão, seguindo as normas técnicas e científicas disponíveis, a fim de proteger a vida, a saúde e o bem-estar dos trabalhadores e preservar o meio ambiente.

Guia para Interpretação do Código

  • O higienista ocupacional deve basear suas opiniões profissionais, julgamentos, interpretações de resultados e recomendações sobre princípios científicos reconhecidos e sobre práticas que preservem e protejam a saúde e o bem-estar das pessoas.
  • O higienista ocupacional não deve distorcer, alterar ou ocultar fatos na interpretação profissional de opiniões ou recomendações.
  • O higienista ocupacional não deve, deliberadamente, fazer declarações que possam distorcer ou omitir fatos.

2.º PRINCÍPIO

Aconselhar as partes efetivamente envolvidas sobre os riscos potenciais e as medidas de prevenção necessárias para evitar adversos à saúde.

Guia para Interpretação do Código

  • O higienista ocupacional deve obter informações relativas aos riscos potenciais à saúde de fontes seguras.
  • O higienista ocupacional deve rever as informações pertinentes disponíveis, e prontamente repassar fielmente às partes envolvidas.
  • O higienista ocupacional deve dispor de medidas apropriadas para assegurar-se de que os riscos estão sendo efetivamente comunicados e compreendidos pelas partes envolvidas.
  • As partes podem incluir empregadores, gerências, empregados, clientes, terceiros, ou outros, dependendo das circunstâncias presentes.

3.º PRINCÍPIO

Manter uma postura pessoal confidencial sobre informações obtidas durante o exercício profissional, exceto quando requerido por lei ou por interesses superiores de saúde e segurança.

Guia para Interpretação do Código

  • O higienista ocupacional deve relatar e transmitir as informações que sejam necessárias para proteger a saúde e segurança dos trabalhadores e da comunidade.
  • Se seu julgamento profissional for desconsiderado em circunstâncias nas quais a saúde e a vida das pessoas possam ser colocadas em risco, o higienista ocupacional deve notificar seu empregador, cliente ou outra autoridade, conforme o mais adequado.
  • O higienista ocupacional deve liberar informações confidenciais pessoais ou empresariais, somente com autorização expressa dos envolvidos, exceto quando haja uma obrigação, estabelecida em lei ou regulamento, para revelar a informação.

4.º PRINCÍPIO

Evitar situações que venham comprometer o julgamento profissional ou que apresentem conflitos de interesse.

Guia para Interpretação do Código

  • O higienista ocupacional deve prontamente dar conhecimento dos conflitos de interesse reais ou potenciais às partes que podem ser afetadas.
  • O higienista ocupacional não deve solicitar ou aceitar recursos financeiros ou outras considerações e formas de valor, vindos de qualquer parte ou grupo, que tenha, direta ou indiretamente, interesses em influenciar no julgamento profissional.
  • O higienista ocupacional deve alertar seus clientes ou empregadores sobre aparentes melhorias das condições de higiene ocupacional que estão sujeitas a não terem sucesso.
  • O higienista ocupacional não deve aceitar trabalho que interfira no cumprimento de compromissos já existentes ou já assumidos.
  • Na eventualidade deste Código de Ética parecer conflitar com outros códigos profissionais aos quais os higienistas ocupacionais estejam vinculados, o conflito deverá ser resolvido de forma que se proteja a saúde das partes envolvidas.

5.º PRINCÍPIO

Desempenhar trabalhos somente nas áreas de sua competência.

Guia para Interpretação do Código

  • O higienista ocupacional deve encarregar-se de serviços somente quando qualificado pela formação, treinamento ou experiência nos campos técnicos específicos envolvidos, a menos que lhe seja fornecida suficiente assistência por parte de associações qualificadas, consultores ou empregados.
  • O higienista ocupacional deve obter certificação, registros ou licenças apropriadas, de acordo com o requerido pelas legislações federais, estaduais ou municipais, antes de fornecer serviços de higiene industrial, onde tais exigências são solicitadas.
  • O higienista ocupacional somente deve afixar ou autorizar o uso de seu nome, firma, carimbo ou assinatura apenas nos documentos preparados por ele próprio ou por alguma pessoa sob sua direção e controle.

6.º PRINCÍPIO

Agir com responsabilidade para defender a integridade da profissão.

Guia para Interpretação do Código

  • O higienista ocupacional deve evitar condutas ou práticas que possam desacreditar a profissão ou enganar o público.
  • O higienista ocupacional não deve permitir o uso de seu nome ou nome de sua empresa por qualquer pessoa ou empresa que ele acredite estar engajada em práticas fraudulentas ou desonestas no exercício da higiene ocupacional.
  • O higienista ocupacional não deve dar declarações ou fazer publicidade de suas perícias ou serviços utilizando material não representativo ou omitindo um fato material necessário, com o intuito de estabelecer declarações enganosas.
  • O higienista ocupacional não deve permitir, deliberadamente, que seus empregados, empregadores, ou outros, depreciem a experiência profissional, a perícia ou outros serviços individuais através de falsas interpretações dos fatos.
  • O higienista ocupacional não deve nunca deturpar sua formação profissional, experiência ou títulos.

MEMBRO INSTITUCIONAL DA ABHO

A ABHO é uma associação de profissionais, pessoas físicas, porém aceita como associados empresas e organizações que têm interesse na área de higiene ocupacional. Instituições, portanto, que desenvolvem programas de prevenção de doenças ocupacionais, mantendo em seu quadro de funcionários profissionais que se dedicam à higiene ocupacional, representantes e fabricantes de equipamento e material de avaliação ambiental e proteção do trabalhador, escolas que desenvolvem programas educacionais na área prevencionista, etc. são elegíveis para essa categoria de membro.

Os membros institucionais podem indicar 3 representantes para participarem dos eventos da ABHO e das assembléias, porém, não têm direito a voto nem são elegíveis para os cargos de direção. Podem, por designação da Presidência da Associação, atuar nos comitês de assessoramento técnico-organizacional.

A instituição que deseja participar do Processo de Admissão deverá preencher a ficha de Proposta de Filiação e efetuar o depósito do valor de R$ 980,00, para que a análise da proposta seja iniciada. Se o Comitê de Admissão indeferir o pedido de filiação, será devolvido o valor pago, descontando-se 15% do total para despesas administrativas e bancárias. Na hipótese de aprovação, o valor será considerado como pagamento da primeira anuidade. A instituição receberá uma carta oficializando o resultado de sua solicitação de filiação à ABHO, uma vez aprovada receberá a carteira de membro institucional .

Cada representante do Membro Institucional receberá um exemplar do livreto dos limites de tolerância da ACGIH, em português, sempre que houver atualização dessa publicação e gozará de descontos especiais nos eventos promovidos pela ABHO.

Ressalta-se que os representantes da instituição afiliada não podem participar do Processo de Certificação, exceto se forem também membros individuais (pessoa física).

AGORA FICOU MAIS FÁCIL SER UM NOVO MEMBRO DA ABHO

O novo Estatuto da ABHO tem uma nova categoria de membro, que é a de “Apoiador”. Se você gosta ou tem qualquer interesse em higiene ocupacional, mas não tem experiência ou conhecimento, você pode começar por essa categoria de associado.

TAMBÉM FICOU MAIS FÁCIL REATIVAR SUA FILIAÇÃO!

Se você já foi membro da ABHO, mas deixou de contribuir com a Associação e por isso perdeu seus privilégios, você poderá reativar a sua condição de associado, refazendo a proposta de filiação.

CADASTRO DE SERVIÇOS DA ÁREA DE HIGIENE OCUPACIONAL

Freqüentemente empresas necessitam de serviços na área de higiene ocupacional, e não sabem a quem recorrer. A ABHO congrega hoje pessoas atuantes e experientes, sendo que muitas delas poderiam atender essa demanda nacional. Assim, com a finalidade de facilitar o contato entre as empresas que precisam de assessoria/consultoria e os membros que possam prestá-las, a ABHO elaborou esta listagem das alternativas possíveis nesta área, em âmbito nacional, através de um cadastro de membros, especificando os tipos de serviços que possam ser prestados.

Ressaltamos que os dados constantes no Mural de Serviços são baseados nas informações fornecidas pelos nossos membros, não implicando em qualquer tipo de preferência ou indicação por parte da ABHO. A seleção do membro prestador de serviço é de exclusiva responsabilidade do consulente, não cabendo à ABHO qualquer tipo de indicação ou responsabilidade quanto à qualidade dos projetos, equipamentos ou serviços prestados.

Newsletter


Acesso Restrito à Membros